Dark Wheel


THE DARK WHEEL

“Ah, eles estão por aí, sim. Eu nunca encontrei com eles, mas sei que estão por aí. Pensa sobre como as histórias são conhecidas. Agora pensa como seria fácil pra um bando de farsantes de meia tigela agir como se fossem a Dark Wheel e começar a negociar usando a reputação dela. Isso não acontece, né? Não por muito tempo, pelo menos. Sempre que alguém tenta usurpar o nome Dark Wheel, mais cedo ou mais tarde eles somem silenciosamente. É assim que eu sei.”

– Felicity Farseer, exploradora

Dark Wheel é o nome dado a um grupo lendário de aventureiros, exploradores, investigadores e caçadores de tesouros cuja existência tem tão poucas evidências corroborantes que o faz ser geralmente considerado um mito. O grupo costuma ser mencionado em conexão com “Raxxla”, igualmente insubstanciado.

Aqueles que acreditam na existência da Dark Wheel consideram que seja uma organização contínua e clandestina, em operação desde os primeiros tempos das viagens interestelares. De acordo com as histórias, apenas alguns dos pilotos mais corajosos e competentes de cada geração são agraciados com um convite para entrar no grupo. Porém, é inútil tentar entrar em contato com a Dark Wheel por iniciativa própria – são sempre eles que iniciam o contato, inicialmente disfarçados, revelando sua verdadeira identidade apenas quando um teste de coragem e  habilidade for aplicado discretamente e superado.

Teorias opostas afirmam que os novos membros são escolhidos com base em linhagem, com os membros atuais treinando seus filhos secretamente e revelando o fato de sua participação apenas quando a criança estiver preparada. Por outro lado, acredita-se que alguns membros dedicam-se muito para evitar que seus filhos tenham qualquer envolvimento, pois os segredos do grupo são perigosos.

De acordo com a autoproclamada especialista em Dark Wheel, Lyta Crane, uma teórica da conspiração e “jornalista popular” que reuniu cuidadosamente um acervo de dados relevantes, o grupo original tinha sua base em um espaçoporto que orbitava a oitava lua de um gigante gasoso desconhecido. A estação era toroidal, por isso “Wheel”, e operava com carga mínima de energia para evitar a detecção, por isso “Dark”.

Crane acredita que esse espaçoporto continua em uso e é o único meio pelo qual a Dark Wheel genuína pode comprovar sua identidade. Novos iniciados podem examinar os registros e artefatos preservados lá e, assim, confirmar que o grupo está realmente em operação há séculos. Porém, nenhum espaçoporto nessas condições já foi encontrado e especialistas rivais acusam Crane de falsificar evidências para manter a receita de seus bilhões de seguidores.

Ao longo dos anos, várias pessoas afirmaram ser membros da Dark Wheel, ter identificado alguns ou todos os membros do grupo ou ter descoberto a localização do grupo, mas a natureza contraditória dessas alegações indica que a maioria, se não todas, são falsas.

Em 3300, um grupo que se identificava como a Dark Wheel surgiu no sistema Shinrarta Dezhra, que não é acessível a pilotos de rank inferior a Elite. Não se sabe se o grupo é um descendente legitimo da Dark Wheel original, uma reconstrução ou apenas uma imitação oportunista.


Fonte: Elite Dangerous (Codex)


error: Desabilitado