Hengist Duval


HENGIST DUVAL

Hengist Duval (3163-3301) foi o 15° governante do Império. Ele foi assassinado no dia do seu casamento com Florence Lavigny.

Hengist reinou durante um período de mudanças significativas. O poder do senado imperial havia começado a crescer, um processo que teve início com a longa doença do pai de Hengist, Hesketh. O desenvolvimento do motor de distorção de fase alterou radicalmente a vida no espaço ocupado pelos humanos, facilitando o acesso a produtos e viagens interestelares e abrindo culturas antes isoladas a influências externas. Os velhos rancores entre o Império e a Federação começaram a se apagar.

Hengist não parecia resistir ou opor-se a essas várias mudanças, optando por manter o Império o mais estável possível em seu cotidiano. Essa postura moderada era muito impopular com os elementos tradicionalistas ferrenhos do Império, que consideravam Hengist míope, desligado da realidade e complacente.

Em 3238, Hengist casou-se com Anthea Viola Lampeter em um casamento arranjado. planejado desde sua infância por seu falecido pai. Apesar de uma chuva de publicidade e celebrações em todo o espaço imperial, chegando à beira da histeria, claramente havia pouco afeto genuíno entre o casal.

Era um segredo mal guardado que o acordo fora feito apenas devido à compatibilidade genética ideal e que Hengist não poderia recusar sem desonrar a memória de seu pai. Conforme o casamento desmoronava, Hengist passava boa parte de seu tempo com seu amigo de infância, Aristide de Lavigny, e sua esposa Florence, em sua mansão em Achenar.

Registros inflamatórios do período retratam a dinastia imperial e sua corte de nobres como nada mais do que libertinos, entregando-se à lascívia e a longas viagens enquanto senado conduzia o trabalho do governo. O boato mais escandaloso era de que o código genético dos Duval havia sido corrompido por séculos de interferência, levando a especulações de que seria preciso encontrar um sucessor do “sangue verdadeiro”.

O nascimento do herdeiro de Hengist, o príncipe Harold, silenciou temporariamente os céticos. Uma cuidadosa sessão de fotos entre pai e filho, quando Harold tinha nove anos, mostrou os dois cavalgando em Achenar, atirando dardos, assistindo a um debate no senado e preparando-se para um banquete sazonal. A sessão de fotos pretendia obviamente apelar aos valores tradicionais do Império, e funcionou. Por vários anos, o príncipe Harold foi o queridinho do Império, um símbolo promissor de esperança. Atualmente, acredita-se que o foco intenso da mídia na vida do príncipe tenha sido parcialmente responsável por sua derrocada, tornando-se um conhecido playboy e namorador, que eventualmente levou a sua exclusão da sucessão por motivos de incapacidade mental.

Perto do fim da vida de Hengist, descobriu-se que Arissa Lavigny-Duval, a filha de Florence Lavigny, era, na verdade, sua filha. Hengist pretendia fortalecer seu direito ao trono. casando-se com Florence, legitimando Arissa, mas foi assassinado antes que isso fosse possível.

A crítica mais duradoura ao Imperador Hengist foi não ter conseguido planejar-se adequadamente para o futuro. Certamente, a questão da sucessão gerou tensões que duram até hoje.


Fonte: Elite Dangerous (Codex)


Anterior Felicia Winters
Próximo Ishmael Palin
error: Desabilitado